INSPIRATION OF THE RAINBOW

Delicados, etéreos, emblemáticos…. Não é de hoje que os arco-íris nos dispertam tanto fascínio e Gabriel Dawe vai além da chuva e uma boa tarde de Sol pra dar caminho aos nossos sonhos; tudo com madeira, fios coloridos e pregos presos nas extremindades. O efeito global foi finalizado com ajuda da computação gráfica  e as fotos foram feitas no “Dallas Contemporany”. Quem achar o pote de ouro no final pode fazer um pedido!

Este slideshow necessita de JavaScript.

ARTWEAR

Entre um blog de revista e outro encontramos um editorial dos mais bacanas. Entitulado ARTWEAR o fotográfo sueco Frederik Lieberath reuni diversos estilistas de moda do Reino Unido, incluindo Charlie Le Mindu, Sandra Backlund, Van Iris Herpen, Hannah Marshall e Slack Gemma selando o encontro entre MODA e ARTE, tudo isso dentro da V Magazine.

Este slideshow necessita de JavaScript.

O mestre do invisível

Jum Nakao é o curador da Terceira Edição do NOVO – Expressão de Moda.   Jum revolucionou o conceito de MODA na temporada  verão-2004 da SPFW com o desfile “A COSTURA DO INVISÍVEL“, imprimindo um novo olhar ao evento. Esse espetáculo de moda  proporcionou as mais distintas reações colocando todos os críticos, público e apreciadores num novo lugar. Pra quem não viu pessoalmente fica aqui o registro e a oportunidade de ver esse desfile, altamente representativo de sua década. Moda pensante, moda arte, moda emocionante!

ENTRE ROUPAS E CONTOS

 

 
 

 

 

Viajando por outros blogs encontrei uma indicação muito boa no Tem pra Homem, blog masculino da Revista Criativa. Trata-se do Blog americano Fuck Yeah Menswear, que pra falar de moda, têndencias e tudo mais desse micro universo fashion faz uso de crônicas e contos, tudo de uma maneira bem inusitada. Os posts são diários, ou seja, há uma infinidades de histórias a serem desbravadas.Vale muito a visita pra conferir esse curioso diálogo entre Moda e Literatura.

http://fuckyeahmenswear.tumblr.com/

MODA/VÍDEO/DANÇA

Imagem, movimento, expressão.  Sincronizando alguns poucos elementos o que se vê é a criação de milhares de editoriais em vídeo. Seja uma pegada vídeo-dança, vídeo-arte ou mesmo uma demonstração mercadológica do produto (essa gostamos menos,rs!) o que se destaca cada vez mais é a necessidade de ultrapassar o velho formato de ver e veicular moda. Aqui vai uma seleção de algumas edições. Tem de tudo: video comemorativo dos 20 anos Dolce e Gabbana, editorial brazuca do Tarcisio Brandão e um vídeo-dança íncrivel  da Dolce e Gabbana pra coleção Outono/Inverno.

Dolce & Gabbana AW by Can Evgin from can evgin on Vimeo.

por Agnaldo Farias

Curador e professor, Agnaldo diz em sua palestra, TEDx USP:

“O que é preciso de fato é que nós coloquemos os “pingos nos is”. E que especialmente as universidades deixem de ser os lugares dessas rotinas. É claro que tem alguns conhecimentos que são básicos, mas nós não podemos formar os alunos para as rotinas. Nós temos que formar os alunos para que eles tenham flexibilidade de espírito; Até porque, muitas das coisas que vocês aprenderam na faculdade não terão validade quando vocês sairem dela. PORQUE O MUNDO ESTÁ EM PROCESSO.”

DICA: Aguardem E fiquem ansiosos quanto a terceira edição do NOVO – Expressão de Moda!

😉

NOVAS FORMAS OU O FIM DOS DESFILES?

Na temporada 2011 primavera-verão de Paris, o estilista GARETH PUGH foi além no já conhecido recurso de mini-videos ulitilizados por muitas marcas como estrátégia de marketing para complementar os desfiles e estimular seus públicos. Com o auxílio da diretora RUTH HOGBEN criou em vez de um desfile de moda, uma mega apresentação em video projetada numa cinematográfica tela no Estádio Paris Bercy. A demanda orçamentária e mesmo conceitual, em pouco difere de um desfile ao vivo, mas o alcance viral do evento transmitido pela internet disperta questões já levantadas por muitos designers e executivos de moda: SERÁ UM DESFILE DE MODA REALMENTE NECESSÁRIO? SERÁ O VIDEO E A INTERNET NOVAS FERRAMENTAS DA MODA? Para Pugh, a imagem possibilita explorar com intensidade a expressividade dos modelos, sublinhar a emoção de maneira concisa, sem o estress de um desfile, dando liberdade ao estilista. Você pode conferir o video aqui e  participar da interação prosposta por Pugh entre roupa-imagem-público.

A polêmica é forte, mas abre espaço para novas discussões no mundo da moda e sua expressão; será o início de uma revolução fashion? No link abaixo você encontra a matéria completa do NY Times.

http://www.nytimes.com/2010/09/30/fashion/30iht-rshow.html?_r=2&ref=fashion